Entrevista com Hudson Cruz

É uma sexta-feira à tarde, sexta-feira 13 na verdade, mas o cenário nada tem a ver com azar. Na ilha de Luanda, sentado à beira-mar, sentindo a brisa e ouvindo o som relaxante das ondas com uma fresquinha à distância do meu cotovelo, vim encontrar-me com Hudson Cruz
Bem… na verdade não estávamos na ilha. Eu estava fechado no escritório em Luanda e o Hudson fechado no escritório em Cracóvia… mas a imaginação é fértil! 🙂

Conheci o Hudson em Março de 2015. Este engenheiro consultor da Cisco Systems em Cracóvia, Polónia, na altura preparava-se para em 3 meses “bater” o exame escrito da certificação CCIE R&S.

Em Abril de 2016, pouco mais de 1 ano depois, recebi a agradável notícia que este jovem angolano acabava de se tornar CCIE, juntando-se a Jeriel Atienza e Andre Malungo tornando-se assim o 3º CCIE activo angolano (se souberem de mais poooor favooor avisem)

Independentemente da nacionalidade e de onde está registado o número a sua caminhada é inspiradora e merece aqui ser partilhada para incentivar e motivar aqueles que estão atrás desta ou qualquer outra certificação.

 

Antes de mais Parabéns pelo CCIE.
Muito obrigado

Qual é o teu número?
Número? Deixa-me ver. Eu não sei de cor. É o 52 qualquer coisa…. CCIE 52384!

Quando fizeste o lab?
13/Abril/2016 no Dubai.

Quando e como começou a tua “carreira” em IT. Começou cá em Angola?
Em redes começou aqui mesmo na Cisco. Mas antes já tinha trabalhado em programação. Estive aí [em Angola] num projecto que tive de ir à Unitel bastantes vezes. Estava a trabalhar no middleware que eles implementaram foi uma empresa portuguesa. Eu fazia suporte e implementação. Também trabalhei para a Siemens 2 anos em Engenharia Electrónica, na Siemens Healthcare.
IT/redes comecei aqui com a Cisco, quando entrei há 1 ano e 8 meses, em Setembro de 2014. Mas antes na faculdade também já tinha estudado muitos protocolos de rede por isso não vim assim mesmo a zero. Já tinha o CCNA R&S na altura, quando comecei.
Entrei para a Cisco, tivemos que tirar o CCNP R&S em 3 meses, de Setembro a Novembro, o que custou!

E bateste sem falhas?
Teve de ser porque aqueles primeiros 3 meses que começas numa empresa, tens medo que se chumbares te mandam embora então foi mesmo para apertar.

Mas disseste que na altura vieste cá para Angola. Foste contratado em Portugal para vir trabalhar para Angola.
Exactamente.

Onde fizeste os teus estudos?
Em Portugal também. Em Lisboa.

Saiste de cá há quanto tempo.
Saí em Janeiro de 1993 com 5 anos, ainda quase bebé.

Desde que saiste de Angola e entraste para a Cisco, tens visitado? Vens cá de férias?
Tenho aí quase toda a minha família mas desde há 2 anos que não vou a Angola.
Mas estive com a família no final do ano estivemos juntos na África do Sul.

Com relação ao emprego na Cisco. Acho que a maioria das pessoas começa a trabalhar em redes, começa a conhecer o “mundo” Cisco e fica fascinado. Como é que chegaste à Cisco? Candidatura expontânea? Foste chamado? Foi recrutamento na universidade?
Candidatura expontânea. Vi a oferta ano Linkedin, na altura não estava satisfeito com o que estava a fazer, redes até era algo que gostava e já tinha o CCNA, decidi candidatar-me. Só depois é que vi que era para a Polónia, mas olha… teve de ser.

E continuas na Polónia?
Exactamente. Em Crakóvia.

Está a ser o que esperavas?
Acho que como todo emprego tem o bom e o mau. Somos parte de uma equipa, o GDC (Global Delivery Center) em que as vezes há trabalho que não é muito motivante.
Mas as coisas boas superam, formação é um espectáculo, tanto tecnicamente como soft skills, como estar com o cliente, o que fazer e não fazer quando sentes dificuldades, é uma parte excelente. A ética de trabalho idem, também é um  espectáculo porque ninguém te vai sobrecarregar de trabalho, vão te dar o suficiente para fazeres e para fazeres o trabalho com qualidade, o que é muito importante para a Cisco. Então, em termos de cultura de empresa, estou mais que satisfeito. Em termos de trabalho, vai melhorar, agora tirei o CCIE, vou ter novos projectos, por isso estou a caminho da felicidade completa.

Hudson Cruz

Hudson Cruz

Com relação ao teu CCIE, o “empurrão” foi mais a nível pessoal ou da empresa?
Foi mais a nível pessoal, eles exigiram foi o CCNP. O CCIE seria para tirar quando me sentisse confortável, agora o empurrão que senti foi dos outros colegas estarem motivados e estarem a caminho de CCIE então senti-me motivado porque não queria ficar para trás.

Qual foi o teu plano de estudo?
Comecei a preparar-me para o lab em Agosto/2015. Eu fiz uma tabela e fazia o seguinte: Todos os dias durante a semana pelo menos, tinha um alarme para as 15h30 e estudava por 4 horas. Mesmo que estivesse a trabalhar deixava o trabalho para depois do estudo à noite ou para o dia seguinte. Aos fins de semana estudava cerca de 8h por dia, depois descansava também um pouco, é importante.

Na parte final fui para Portugal e estudava cerca de 12h por dia.

Essa última fase foi quanto tempo?
2 meses praticamente com 12h por dia a estudar.

Quanto tempo para passar no escrito?
Foi cerca de 1 a 2 meses.

Pediste um tempo no trabalho?
Exactamente. Pedi 4 semanas e depois as outras 4 semanas foi de férias. Nós temos uma política que eles dão 2 semanas para estudar e as outras 2 semanas tive que trabalhar e estudar ao mesmo tempo.

A tua chefia foi compreensiva e colaborou neste teu esforço?
Muito, muito, muito compreensiva mesmo porque sabem o quão difícil é e os benefícios que pode trazer.

E bateste na primeira tentativa?
Não. A primeira tentativa em Fevereiro chumbei. Passei em todas as secções mas depois chumbei na média final, acho. Mas não puseram lá o valor da média final.
Agora passei em Abril há cerca de 1 mês atrás. Mas foi complicado pah! Voltar a estudar depois de um gajo chumbar, foi complicado. Tive ali uns 15 dias que estava mesmo desmotivado.

E os teus colegas que se estavam a preparar contigo, passaram?
Já passaram. Do grupo que foi admitido comigo, cerca de 30 pessoas, já temos uns de 7 CCIEs. Desde Setembro/2014.

Estudavam em grupo ou foi mais estudo individual?
Na altura final foi individual. O meu foi mais individual. Eles faziam sessões de estudo em grupo mas estavam um pouco mais adiantados do que eu. Se fosse lá ficava um pouco perdido. Por isso decidi fazer mais o meu plano individual.

Material de estudo o que usaste?
Utilizei o IOU/IOL, tinha aqui uma máquina virtual e depois tinha os workbooks. Fiz primeiro o IPExpert , vi os videos todos e fiz o workbook todo, Depois fiz também o INE, todos os videos e os workbooks todos. Na parte final fiz todos os exercícios/workbooks do Cisco 360 [agora denominado Expert-Level Training].

Sim senhor, foi mesmo carga. 3 programas diferentes.
Ya, foi mesmo a doer.

E agora com o CCIE, vais atrás do 2º, 3º? Vais dar uma pausa?
Agora estou a desfrutar e como estou a trabalhar mais com Service Providers vou concentrar-me nisso. Agora vem aí o verão por isso estudar.. esquece! Vou só desfrutar bem, quando começar o inverno, um gajo aqui o inverno é rijo, com chuva e com neve, dentro de casa e aí sim vou atrás do Service Provider, porque é um salto pequeno do R&S para o SP.

De todo este tempo de estudo quais foram pra ti os 3 tópicos mais difíceis de aprender?
Hhhhmmm… O 1º e que demorei mais tempo foi L3VPN, principalmente route import export, como se combinavam com o MPLS e as labels, como as partes todas do puzzle se juntavam. Demorei algum tempo a perceber aquilo tudo. OSPF tem ali umas coisinhas e detalhes que também demorei algum tempo a apanhar tudo e às vezes teve que ser mesmo a memorizar.
E.. Acho que foi isso. O resto era muito straightforward.

E o mais fácil? Top 3
RIP, EIGRP e tópicos Layer 2. Layer 2 não tinha nenhuma dificuldade.

A nível pessoal, dificuldades e empecilhos. Mulher, filhos, responsabilidades?
Naaada, nem mulher nem filhos e agora nem namorada. Na altura tinha mas ela também trabalhava muito. Agora nem namorada por isso o meu tempo foi só para mim.

A preparação teve muito impacto na tua vida pessoal? Socialização?
Ya teve porque sou um gajo que gosta muito de festas e tive que cortar isso tudo. Porque se saísse, se bebesse demais já sabia que dia seguinte não ia conseguir estudar, cabeça estava a doer. Tive que cortar isso tudo. Ficava em casa fins de semana, ia só ao cinema de vez em quando. Cortei muito nas festas e o tempo que tinha disponível passava com a namorada.

Além de Cisco, tens interesse em outras tecnologias, vendors e certificações?
Para o ano se calhar vou começar a ver mais VMWare até porque estou interessado em ir para datacenter no futuro e ACI acho que vai ter uma grande saída e nós aqui andamos a ter muitos projectos de ACI por isso no futuro, depois do SP, se fizer este ano também, há de ser o Datacenter.

Que tens a dizer sobre as mudanças nos últimos tempos com a virtualização, SDN. Agora inclusive com a inclusão no CCIE das “Evolving Technologies“. Há inclusive comentários que a Cisco está a perder mercado porque agora é tudo a nível de software, correndo em servidores “comuns”. É relevante? Diz-se também que o CCIE está a perder relevância por causa disso.
Eu até concordo que o CCIE está a perder relevância mas acho mais que é porque há mais do que antigamente. Só para ver que o meu número é acima dos 52000 por isso já há fartura.
Em relação à Cisco eu acho que estamos a acompanhar, ainda não somos líderes destacados mas todos os trimestres o nosso número de DC está sempre a aumentar 2 dígitos por isso os clientes andam agora a acreditar em Cisco.
No mercado, que vamos chamar legacy continuamos a dominar acima dos 50% por isso ainda estamos líderes isolados e acho que virtualização estamos a chegar lá porque vejo mais e mais projectos para ACI e SDN.

Angola. Pensas voltar?
Era um dos meus sonhos, só que está complicado. Não tão cedo, está complicado porque tenho família tanto em Angola como em Portugal e vou ter que decidir se fico em Angola ou Portugal. Na Polónia não de certeza mas vou decidir entre estes 2 países.

Hudson, obrigado e sucessos.
Obrigadão e se me arranjares aí um projecto ainda melhor!

————-

PS: A conversa com o Hudson mostrou que com dedicação e sacrifício conseguimos atingir os objectivos que decidimos atingir. Todos os dias temos 16-18h disponíveis e o que fazemos com elas está nas nossas mãos. Só temos que aprender que não podemos fazer tudo, algo tem que ser posto de parte.

Confesso aqui sem receios, que desde Agosto/2014 que me estou a preparar para obter a certificação CCIE e até hoje nem sequer o exame escrito tenho feito. Já está pago há mais de 1 ano e já adiei umas 5 vezes!. Como muitos, não tive ainda a força suficiente para sacrificar vários elementos da minha vida: seja tempo com a família, socialização, os negócios/”biznus” e mais.

Aproveito também para deixar o conselho aos mais jovens (tipo que já sou bué mais velho), o tempo que estão livres, a viver do salário e casa dos pais, sem responsabilidades de maior não é só para curtir, festejar e se espalhar no facebook/instagram/snapchat. Deve ser também para o estudo, preparação para a vida futura e buscar um pouco de educação financeira.

Prontos agora acabou.

(Na publicação inicial do post esqueci-me completamente destas notas de conclusão)

 

14 Comments Entrevista com Hudson Cruz

  1. Jeremias Miguel

    Valeu pela entrevista Mario Pinho. Parabéns pelo CCIE Hugo…Mario quando vamos fazer o Lab?…So falta nós os dois…

    Reply
    1. Mario Pinho

      Hehehe grande Jeremias. Epah ainda me falta o escrito. Já tenho uma falha no cadastro… mas estou a preparar o texto já com o teu nome para a próxima entrevista

      Reply
  2. Pingback: E lá se vai 2016 | Ignorante e Indeciso

  3. João Meireles

    Parabéns pela entrevista Mario! Muito motivador ! Abraço do Brazil! Aguardando a próxima entrevista.

    Reply
  4. Bruno

    Boas Pessoal!

    Podem podem dizer-me quanto ganha um CCIE em Angola, neste momento?

    Penso que vocês que estão ligados a redes e tem um interesse especial em certificações da Cisco incluindo o CCIE poderão facultar-me está informação com alguma veracidade?

    Obrigado pelo vosso tempo

    Reply
    1. Mario Pinho

      Olá Bruno. Obrigado pela visita. Não sou CCIE e cá em Angola salário é das coisas que mais se tenta manter em segredo. Seja bom ou mau.
      Se é realmente importante para ti ter esta informação recomendo que tentes contactar os CCIE angolanos pelo Linkedin. Vai ser bem fácil encontrar.
      Boa sorte e sucessos!

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *