Netlogs.net: Angola tem um novo blog de redes IP

A informação de nada vale se não for partilhada!

… e poucas coisas me dão mais prazer do que ouvir e ver pessoas como o nosso bro Ricardo Simba que decidem abrir um blog para partilhar o que vão aprendendo enquanto passeiam pela vida.

Netlogs.net é o blog de quem é hoje o único System Engineer da Cisco, angolano em Angola. A promessa é partilhar artigos técnicos do seu dia-a-dia, experiências passadas, novas tendências com foco em fabricantes como Cisco e Juniper.

Podem lhe mandar mensagem a vontade se ele ficar muito tempo sem publicar nada.

Aproveito informar que ofereço um prémio a quem conseguir me mostrar o Ricardo chateado ahahhaha

CCNA For All: Video-aulas Made In Angola II

Já lá vai um bom tempo desde que publiquei um post com Video-aulas Made In Angola. De lá até agora, infelizmente não houve um grande número de novidades mas há um autor que tem dado o ar da sua graça.

Ndawedua Neto é um engenheiro informático angolano com certificação CCNP e através das suas páginas do Facebook, Youtube e Linkedin tem partilhado bastante conteúdo sobre configuração Cisco e Fortinet. O conteúdo vai de videos, fotos, perguntas, inquéritos e até sessões live. Vejam o video abaixo para ter uma ideia do que podem encontrar. Continue reading

O “front-end” de consulta da CNE na AWS? Parte II

Eu votei, tu votaste… é hora de seguir com a vida com a parte 2 do meu post recente sobre o front-end de consulta de assembleias de voto da CNE na cloud AWS (Amazon Web Services).

O objectivo deste post é uma análise breve de um ponto de vista mais técnico da arquitectura desta aplicação web.

Irei tocar na alta disponibilidade, latência para os utilizadores e “adivinhar” onde está a base de dados.

Nota: Este post foi escrito, e os dados recolhidos antes das eleições em 21 de Setembro de 2017. Quando estiver a ler, é possível que o site e formulário mencionados não estejam mais disponíveis.

Continue reading

A melhor maneira de aprender…

Desde a minha juventude o meu pai me dizia:

“A melhor maneira de aprenderes algo é aceitares o desafio de ensinar a alguém”

E ensinar nunca foi o meu forte. Sempre foi algo do qual eu fugia até há alguns anos atrás, quando aprendi que era de facto verdade e comecei a perder o medo de falar em público. É na hora de se tentar ensinar que descobrimos os pequenos detalhes que nos faltam.

Comecei recentemente um desafio do género, não porque me pediram, mas porque eu mesmo me ofereci para solidificar o conhecimento de ambos os lados, de quem ensina e de quem recebe. “Win-Win situation”. Uma “formação à medida” a um grupo de funcionários de uma empresa sobre bases roteamento e protocolo OSPF ao nível de conhecimento CCNP.

Então… chegou a hora de descobrir o pouco que ainda sei e refrescar o que já fugiu.

De volta ao básico!
Books + Books

E lembrem-se sempre:

“O conhecimento não vale de nada se não for partilhado e posto em prática, por menor que ele seja”

Por que o “front-end” de consulta da CNE está na AWS?

Eu sou uma pessoa curiosa, cada dia mais que o anterior. É a forma que tenho de me manter minimamente actualizado e de aprender todos os dias.

Uma parte desta minha curiosidade passa por verificar onde estão alojados alguns sites cá da banda e não só, usando o resultado de consultas em sites como whoishostingthis.com, radb.net ou network-tools.com.

Esta minha curiosidade chegou ao site da Comissão Nacional Eleitoral (CNE) quando fui informado de que já estavam disponíveis online as consultas dos cadernos das assembleias de voto.

form www.cne.ao

A consulta é um pequeno formulário embutido no site da CNE em que depois de inseridos os dados do cartão eleitoral, somos encaminhados para uma pequena página simples com a informação, fotografia e localização da Assembleia de Voto.

resultado consulta assembleia de voto

O que me chamou atenção foi o facto deste domínio cneangola.com ser completamente diferente do domínio de origem cne.ao. A faísca da curiosidade aumentou e lá fui fazer as minhas brincadeiras.

Continue reading

Bases de dados públicas disponíveis na cloud

Há dias dei de caras com este post no blog da AWS (Amazon Web Services, provedor de serviços de cloud pública). Achei interessante por 2 motivos:

  1. A inimaginável escala e capacidade que os datacenters e provedores de serviços cloud atingiram.
  2. A disponibilização de informação pública de forma tão aberta e deixada nas mãos de quem quiser para tratar e visualizar como quiser. Informação de gastos governamentais! GigaBytes e GigaBytes!

AWS usaspendig capture

O meu espanto poderá não fazer muito sentido para alguns países de língua portuguesa, mas faz para nós cá em Angola isto é coisa de outro mundo… pelo menos por enquanto.

A lista completa do que eles chamam “public data sets” está disponível neste link e o facto dos snapshots das bases de dados estarem já disponíveis evita que quem quiser usar tenha ter que procurar, fazer download e guardar para posterior processamento. Os dados podem ser analisados usando directamente computação e serviços disponíveis na AWS.

 

E nós? Não seria “agradável” termos disponíveis os dados em bruto do INE por exemplo? O nosso OGE (Orçamento Geral do Estado)?
Eu não estou informado de qualquer serviço deste tipo aqui no nosso país. Quem souber por favor nos dê a conhecer.

Albufeira cheia de água pra quê?

O tópico do momento, pelo menos cá em Luanda, é a energia (ou a falta dela.) Muito se fala das restricções de energia necessárias para encher a albufeira da nova barragem de Laúca e todos sentimos (e de que maneira).

Enche reservatório de dia, energia à noite, desvio para albufeira, pouca água em Cambambe… no meio disto tudo senti nos meios de comunicação a falta de uma explicação clara de por que sequer se precisa de ter uma albufeira cheia de água. Continue reading