Podemos reduzir os 150ms para a “internet”?

Durante uma das minhas sessões de formação perguntaram-me:

Por que nenhum dos provedores consegue nos reduzir o ping para menos de 150ms para a internet?

E a resposta é simples: é impossível bater a Física!!

Passo a explicar…

Distância

Actualmente, a maioria dos servidores de conteúdo que comunicam com Angola estão na Europa. A distância entre nós e Lisboa é aproximadamente 5.800 Km em linha recta.

Distancia luanda-lisboa

Como se não bastasse, os cabos não atravessam montanhas, prédios e nem podem ser passados internacionalmente por postes. Para percorrer o caminho pelo mar, devem afastar-se do litoral, contornar a grande “mulumba” no caminho. Por estes motivos, a distância real percorrida pode facilmente duplicar ou triplicar.

Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/WACS_(cable_system)

Velocidade

Para percorrer qualquer distância é preciso de tempo. O tempo necessário para percorrer esta distância, depende da velocidade. Para o caso de cabos submarinos de fibra óptica, a velocidade a considerar é a velocidade da luz na fibra óptica. Esta, é de aproximadamente 200.000 Km/s, 2/3 da velocidade da luz no vácuo (~300.000 Km/s).

Então?

Do exposto, é possível ver que nenhum provedor pode reduzir significativamente os 150ms em média para a “internet” a menos que consiga aumentar a velocidade da luz na fibra óptica ou reduzir a distância entre continentes (hahahah).

empurrando o pais

E se os seus cálculos lhe apresentaram valores muito inferiores não se esqueça que o equipamento ao longo do caminho (repetidores, switches, routers) e a tecnologia de acesso que usa (Wi-Fi, WiMAX, LTE…) introduzem mais uns milissegundinhos na equação.

Mas há alternativas?

Como quase tudo, claro que existe uma alternativa: trazer a “internet” para perto de nós. Mas este assunto já foi tocado de leve em um artigo anterior sobre os IXP.

Notas

Nota 1: Não sou nenhum especialista em telecomunicações submarinas e a física envolvida nos cabos de fibra óptica. Este artigo foi concebido para ser apresentado em uma linguagem o mais clara possível.

Nota 2: Escolhi Lisboa porque é o primeiro ponto de saída na Europa para os 2 cabos submarinos que servem ao nosso país actualmente, o SAT-3 (South Atlantic 3) e o WACS (West Africa Cable System).

Nota 3: Este artigo foi ligeiramente alterado depois da publicação inicial para indicar claramente de que os 150ms são de ida e volta (2-way ping) e não em um único sentido

Chau!

Optical Fiber: Index of Refraction
https://en.wikipedia.org/wiki/Optical_fiber#Index_of_refraction

How Fast Does Light travel through Fibre Optic Cable?
https://physics.stackexchange.com/questions/80043/how-fast-does-light-travel-through-a-fibre-optic-cable

Researchers create fiber network that operates at 99.7% speed of light
https://www.extremetech.com/computing/151498-researchers-create-fiber-network-that-operates-at-99-7-speed-of-light-smashes-speed-and-latency-records

The Speed of Light Never Changes, Except When it Does
http://blog.telegeography.com/the-speed-of-light-never-changes-except-when-it-does

Measure Distance Between Two Cities
https://www.timeanddate.com/worldclock/distance.html

Telegeography Global Internet Map 2012
http://global-internet-map-2012.telegeography.com/

2 Comments Podemos reduzir os 150ms para a “internet”?

Responder a Botelho da Rocha Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *